Topo

Histórico

Categorias

VAR é 100% seguro? Não. Ceará pode ter razão em jogo contra Palmeiras

Andrei Kampff

06/11/2019 13h00

A tecnologia veio para dar mais legitimidade ao jogo.

Já disse, e repetirei: quer você goste ou não, o VAR  veio para ficar.

Mas também no futebol o óbvio tem oposição. Afinal, toda unanimidade é burra, como dizia Nelson Rodrigues. Mesmo assim, aquele conselho que vale para o futebol e para a vida: mais informação sempre traz menos gritaria.

Agora, o VAR  é 100% seguro? Tenho que admitir, não. E sabe por quê? Porque ele é operado por nós, humanos.

VEJA TAMBÉM: 

O gol anulado do Ceará contra o Palmeiras pode ser um exemplo desse erro. E o time nordestino pode ter razão em abrir a boca.

Quem explica é a especialista Renata Ruel, comentarista dos canais ESPN e colunista do Lei em Campo.

Nos siga nas redes sociais: @leiemcampo

 


 

Quando o VAR decide o jogo até em lances que seriam factuais

A tecnologia do VAR pode ser exata, mas quem a manipula é um ser humano, e este é passível de erro.

No jogo Palmeiras x Ceará, o time nordestino teve um gol anulado no final do jogo por impedimento marcado em campo pelo assistente, o qual não cumpriu o protocolo em lances ajustados de esperar a jogada se concretizar para depois assinalar; mas o árbitro não apitou no primeiro momento, deixou seguir e, somente ao sair o gol, corroborou a sinalização do bandeirinha. O VAR confirma o impedimento.

Porém, as imagens mudam a situação do atacante ao olhar o primeiro momento do toque na bola no passe feito pelo companheiro e quando essa bola já está saindo do pé.

Primeiro toque na bola

 

Bola saindo do pé

O texto da regra diz claramente em qual momento o VAR deve paralisar a imagem do toque para traçar a linha de impedimento:

"2. Infração de impedimento

Um jogador em posição de impedimento no momento em que a bola for jogada ou tocada por um companheiro de equipe (o momento do primeiro ponto de contato com a bola, ao ser tocada ou jogada, é que deve ser considerado) só deve ser punido se participar ativamente do jogo."

 

Imagem do VAR para marcar impedimento do atacante do Ceará

 

Imagem com a posição do atacante no primeiro contato na bola como diz a regra

Ao analisar o lance do impedimento do Ceará, a imagem do VAR parece ter sido parada no momento em que a bola já está saindo do pé do atacante, não no primeiro toque na bola, como diz a lei do jogo.

Isso muda, sim, a situação do atacante, que está, na teoria, em posição de impedimento.

Quantos lances ajustados de impedimento podem ser errados pelo VAR em função do momento errado do toque na bola?

Antes parecia que, pelo menos no impedimento, o VAR tinha 100% de acerto. Agora gera dúvida.

Sobre o autor

Andrei Kampff é jornalista formado pela PUC-RS e advogado pela UFRGS-RS. Pós-graduando em Direito Esportivo e conselheiro do Instituto Iberoamericano de Direito Desportivo e criador do portal Lei em Campo. Trabalha com esporte há 25 anos, tendo participado dos principais eventos esportivos do mundo e viajado por 32 países atrás de histórias espetaculares. É autor do livro “#Prass38”.

Sobre o blog

Não existe esporte sem regras. Entendê-las é fundamental para quem vive da prática esportiva, como também para quem comenta ou se encanta com ela. De uma maneira leve, sem perder o conteúdo indispensável, Andrei Kampff irá trazer neste espaço a palavra de especialistas sobre temas relevantes em que direito e esporte tabelam juntos.

Lei em Campo, por Andrei Kampff